Notícias
Figueiredense quer disputar à 2ª Divisão em 2015
Estadual
29.12.2014 - 10:36 - Amazonas
Foto: Reprodução/Facebook

A partir do ano que vem, Presidente Figueiredo (distante a 70 de quilômetros de Manaus) quer sair do clichê de ser somente noticiada ou conhecida pelo atrativo turístico da bela paisagem e cachoeira que encanta os amazonenses.

A cidade interiorana, famosa pelo fruto amazônico, o cupuaçu, quer entrar de vez no universo do futebol.

Um projeto de autoria da direção do Clube Atlético Figueiredense, que se orgulha de ser o primeiro time profissional da cidade, quer colocar o time na segunda divisão do futebol local já na temporada de 2015.

Mas antes de botar o time em campo pelo profissional, os dirigentes correm para conquistar os direitos fora de campo.

“O processo para a federalização do clube está em fase final. Já temos o estatuto, os demais documentos necessários pra esse sonho se concretizar”, disse o presidente do clube, Samuel Assunção, que ainda arca com o pagamento dos valores.

“Estamos pagando mais de R$ 40 mil de taxas na CBF (Confederação Brasileira de Futebol) e na FAF (Federação Amazonense de Futebol) e ainda pagamos o advogado. Nossa pretensão é entrarmos no segundo semestre de 2015”, garantiu o entusiasmado cartola.

Contagiados com a hipótese de estar entre os grandes do futebol, a cidade turística já passa a contar com o apoio de mais torcedores. “Estamos tendo a ajuda de torcedores e de empresário da cidade. Figueiredo tem recursos humanos, logístico e até financeiro. Além de amarmos nossa cidade, amamos o futebol” declarou.

Espaço ocioso

A ideia da direção da equipe de Presidente Figueiredo é contar com as instalações da sede do clube da Associação dos Empregados da Eletronorte (Assel), na Vila de Balbina, distante 180 quilômetros da capital.

Atualmente, o referido clube, que é dotado de quadras de esportes, piscinas, alojamento e campo está com a manutenção comprometida.

“Queremos motivar o esporte na nossa cidade e criar outras modalidades esportivas. Assim que legalizarmos a documentação vamos a Brasília conversar com a direção do clube da Assel. Havendo a liberação nos assumiremos a manutenção de toda a estrutura junto com os parceiros e empresários da cidade”, garantiu o presidente da equipe interiorana.

O dirigente destacou a qualidade da estrutura existente em Balbina em relação a mantida pelos clubes amazonenses.

“São estruturas que ainda não vi em Manaus ou no Amazonas. Então a reforma custará muito menos que fazer uma nova sede”, afirmou Samuel Assunção que, junto com o vice-presidente do Figueiredense, Mozart Carlos, viajará para a capital federal Brasília até o mês de fevereiro para conversar com o presidente da Eletrobrás.

Fonte: Jornal A Crítica
 


© Copyright 2004 - 2020 / Todos os direitos reservados ao Futebol do Norte