Notícias
No final, a torcida remista comemorou a vitória suada
Bastidores
29.12.2012 - 15:19 - Pará
Foto: Daniel Pinto

Em uma noite de clima agradável, o Clube do Remo apresentou o que tem de novo para a temporada 2013. Dezenove jogadores tentaram mostrar o melhor no amistoso contra o Castanhal, mas a atmosfera agradável da natureza não chegou às arquibancadas do Baenão. Ontem, a torcida azulina deixou claro que no próximo ano não aceitará erros. Vaiou e xingou quando viu erros demais. Em compensação, vibrou no momento que era para vibrar. E a maior de todas as vibrações foi no gol de Fábio Paulista, que sacramentou a vitória de 2 a 1 do Leão em cima da Japiim e salvou os azulinos de deixarem o gramado sob vaias ao final dos dois tempos.

Mas poucos deveriam imaginar que os primeiros 45 minutos terminariam dessa forma negativa. O Remo começou com vontade. Movimentava-se bem e chegou facilmente ao primeiro gol da partida, logo aos 6 minutos. Depois de Branco tentar avançar na área, sofreu falta e Edilsinho abriu o placar. Dava a entender que dominaria o Japiim fácil. Puro engano. O jogo foi equilibrando e, aos 24 minutos, Frank ficou de frente para a área e chutou. Antes da bola entrar, ainda desviou na zaga e enganou o goleiro Fabiano. A partir daí, a torcida passou a pegar no pé de qualquer jogador atrapalhado. O apito do juiz foi o melhor “elogio” que o lateral-esquerdo Tiaguinho, por exemplo, ouviu na primeira etapa. Acabou não voltando para o restante do jogo.

O time azulino começou o segundo tempo realizando boas jogadas pelo lado direito, mas nada disso assustou o time da Cidade Modelo. Por mais de duas vezes, os castanhalenses chegaram com perigo antes mesmo de o relógio marcar 20 minutos.

Do banco, o técnico Flávio Araújo resolveu fazer o que tinha planejado: mexeu em massa no seu time. A essa hora, vários jogadores do sub-19 entraram em campo. Rejuvenescidos, os azulinos melhoraram. Mas foi um dos contratados de Araújo que fez a diferença. Fábio Paulista fez até o ex-carrasco Branco se redimir com a torcida. Pena que estava impedido. Foi então que o próprio Paulista decidiu resolver a situação: liquidou a partida com belo gol e fez o Leão começar a nova era com o pé direito.

Araújo: foram dois tempos distintos

Ao final do jogo que trouxe a primeira vitória da “Era Flávio Araújo”, alguns jogadores chamaram atenção negativamente, como o lateral-esquerdo Thiaguinho. Outros saíram de campo com prestígio junto ao torcedor. A dupla de atacantes, colocada no segundo tempo pelo técnico Flávio Araújo, foi o ponto alto. Guilherme, atleta ainda do sub-19, e Fábio Paulista, um dos contratados do treinador, bagunçaram a partida a favor do Leão.

Em rápida tabela entre os dois, Paulista não deu chances para a defesa do Castanhal. “Fui feliz em poder fazer o gol da vitória. E não digo que caí nos braços da torcida, que ainda falta muito para isso, mas estou fazendo meu trabalho”, comentou o destaque do jogo. O companheiro Guilherme revelou que a parceria entre os dois já acontecia nos treinos. “Eu e o Paulista já vínhamos fazendo isso nos treinos. Se ficar no profissional, quero que a dupla renda”, comentou o garoto, que viaja para a disputa da Copa São Paulo na próxima quarta-feira.

O técnico Flávio Araújo comentou que analisou dois tempos distintos em seu time. “Foram dois tempos diferentes, tanto em relação à posse de bola, à transação da defesa para o ataque. No primeiro tempo, não jogamos bem. Mas no segundo foi melhor. Jogamos um futebol que estávamos treinando nos coletivos e conseguimos nos recuperar. Isso foi o mais importante”, avaliou Araújo.

Fonte: Diário do Pará
 


© Copyright 2004 - 2020 / Todos os direitos reservados ao Futebol do Norte